A Mina Perdida de Lightsterin

Olá a todos aqui da Dungeon, hoje eu volto aqui para abrir vagas para a mesa de D&D 5e em um universo próprio! Pois então eu vou passar a história para vocês para que todos possam se ir criando os seus personagens.

Depois da Grande Guerra Continental, e das terríveis sombras trazidas
pela Praga, que devastou quase todo mundo conhecido. Agora, o mundo vive um período de reconstrução constante desde o início
da Quarta Era, o tempo da renascença do mundo, onde os países tentam se
recuperar dessas duas tragédias.
E no meio de um território vasto sem muitas pessoas o povoando, é que
surge a iniciativa de Albigard e de outras terras para que todas as pessoas se
casem e tenham diversos filhos. Prole essa que ao chegar a uma determinada
idade é enviada para todos os cantos do Reino para o repovoar.
No entanto, dessa massa de jovens de todas as idades vagando pelas
estradas é necessário que todos eles precisam ganhar dinheiro pelo caminho se
aventurando em ruínas antigas e descobrindo aquilo que fora perdido no passado. Alguns sem escrúpulos acabam se tornando criminosos e vivendo de roubar as pessoas nessas estradas movimentadas.
Independente da origem de vocês, se vieram do luxo da nobreza ou da
pobreza miserável, agora vós estais vagando pelo mundo sem muito rumo ou
com promessas de grandes riquezas, apenas sendo guiados por aquilo que
suas famílias ensinaram, e pela sua fé em Cristo.
Em um determinado momento, todos vocês recebem uma proposta de
lucro garantida, uma tarefa fácil que os políticos e nobres da cidade Histerwood
os forneceram, achar a mina perdida de Lightsterin, a recompensa por achar tal
local é algo que na certa garantirá a todos os envolvidos dinheiro suficiente
para cumprir aquilo que lhes foram ensinado, comprar uma casa, se casarem e
terem muitos filhos para repovoar o mundo.
Algumas pessoas que viram a proposta acharam que ela era muito
mentirosa, mas para vocês que já não tem mais nada a perder, ela é tudo o
que os separa da perdição de uma vida vazia, de um futuro minimamente
promissor, e como dizem, aquilo que morre por último é a esperança, e como
não há mais nada a perder, por que não aceitar tal tarefa?

Gostou dessa histórinha? Quer participar dessa mesa? Então atente-se as regras para você desfrutar dessa aventura de RPG.

  • Primeiramente, você DEVE SABER
    • Ter conhecimento mínimo das regras de D&D 5E
    • Ser maior de 16 anos
    • Se comprometer a mesa e não faltar nos dias em que ela ocorrer
    • Saber que o seu personagem estará no NÍVEL 1
    • Deixar o seu Nick do Discord para eu entrar em contato com você caso você seja escolhido
    • Saber que a mesa ocorrerá a cada duas semanas nas sextas feiras ás 20h.
  • E para você ser aceito na mesa, o seu pedido deve conter!
    • O nome do Personagem
    • A Raça
    • O Sexo do Personagem
    • A História dele completa até aquele momento
    • A Classe
    • E o que o seu personagem quer fazer, o que ele deseja? Seus Objetivos? Enfim o gancho que faz o seu personagem querer explorar o mundo.

Se você cumprir todos os objetivos desse pedido, saiba que você estará a alguns passos de ser escolhido como um membro da mesa, e caso isso ocorra saiba que eu vou usar o seu NICK do DISCORD para entrar em contato com você.

De tudo mais eu agradeço a participação de todos e saiba que eu aguardo ansiosamente as suas histórias e personagens.

2 Likes
Boa noite, @reinodealbir !
Estou certo de que esse BG do seu mundo é muito promissor!

Apesar de eu não ter muita experiência com o RPG, por hora, me sinto a vontade em poder participar, pois tenho lido e aprendido muito sobre as regras. Tenho a ousadia de dizer que eu acho que já memorizei todas as regras básicas.
E como pedido vou apresentar meu personagem:
- Nome: Suirad (só Suirad mesmo)

- Raça: Meio Orc

- Sexo: Masculino

- Background: (Vou tentar usar as características que você deu do mundo).
Suirad completava seus 7 anos de idade quando Fred contou o que tinha acontecido no mundo, com a tribo dele e o processo em que o mesmo estava passando naquele momento. Depois que ele soube o que aconteceu, especificamente com o grupo dele, uma voz soou em sua cabeça: “Você viveu pra matar” - sussurrou Gruumsh, panteão maior dos Orcs. ~ Nesse momento Suirad despertara sua fúria e o próprio Fred viu o terror nos olhos do pequeno meio Orc.
~Sete anos atrás~

Um grupo de Orcs e meio Orcs, que se tornaram nômades andavam em meio a devassidão causada pela Grande Guerra Continental e pela Praga. Rejeitados (talvez) por alguma civilização em reconstrução ou pela arrogância causada pela caoticidade que reina e vive dentro de si mesmos, não faziam questão de reconhecer o quão grave era a situação que eles viviam. De tempos em tempos saqueavam acampamentos de outras criaturas para terem o que comer, escravizavam aqueles que resistiam aos saques e matavam os que desafiavam o pequeno e tribal grupo de Orcs. ~ Desprovidos de qualquer tipo de inteligência e sabedoria, os Orcs continuavam na intenção de encontrar um lugar apropriado para começar uma horda temida - mas nem tudo nessa atual situação do mundo é fácil assim -. ~ Em certo dia, os Orcs chegam em um lugar no qual achavam que seria o lugar perfeito para recomeçar: uma floresta que se estendia grande mente para todos os lados. Certos do que queriam e orgulho de como estavam, pararam suas carroças e neste mesmo lugar começaram a montar um acampamento fixo. ~ Passaram-se dias e os Orcs estavam se adaptando ao local, fazendo reconhecimento de área e coisas de praxe. Em uma noite como qualquer outra, alguns Orcs ali revezavam guarda; alguns distraídos, outros atentos e outros resmungando, uma flecha sobrevoa por entre as árvores, vindo de uma direção desconhecida dos Orcs: Shlaaap! - Uma flecha cravada no olho de um dos Orcs distraídos! - O Orc despenca no chão como um saco de estrume -. O que veio depois disso foram flechas atrás de flechas: Shlaaap! Shlaaap! Shlaaap!!! - Antes dos Orcs perceberem que estavam sob ataque, já haviam mais da metade da guarda morta. Em seguida e no mesmo ritmo, criaturas adentram no acampamento e travam uma luta sanguinolenta. Os atacantes eram saqueadores experientes, vividos e treinados. Supostamente eram de grupos que se separaram dos objetivos de procriação e entraram no mundo do crime, roubando e matando todo tipo de criatura com algum tipo de recurso material. Os Orcs tinham carroças, cavalos, comida, armas e eram exatamente isso que os saqueadores queriam. No caos que acontecia ali, os Orcs preservaram a vida dos Orcs bebês que ali estavam. Com instinto de sobrevivência, os orcs colocaram os bebês dentro de um baú usado para guardar carne e os enterrou num buraco feito para desprezar fetos e todo tipo de porcaria. Os Orcs provavam do próprio veneno. ~ Amanhece e o que se vê são pessoas adentrando nas cabanas dos orcs e saindo com algum tipo de pertence - aqueles orcs sucumbiram -. ~ Dias depois, naquele mesmo lugar, um grupo de criaturas que passava por ali, caçando para a alimentação noturna, localizam um grupo de lobos negros se alimentado dos restos dos orcs. Com acuidade e rapidez, o grupo abate alguns dos lobos que ali estavam e vão investigar. Chegando lá logo notam que fora arte de criminosos desertores de deveres. Mas algo incomum acontece ~ no meio do emaranhado de sangue, tripas e um odor insuportável, um ser chora desesperado em um buraco. O grupo vai até lá checar e notam que além desse bebê orc, existem outros, porém todos outros sem vida, exceto. Com a decisão de todos, o grupo decide pegar o bebê e levá-lo com eles. O batizaram de SUIRAD em memória de um meio Orc do grupo deles que fora morto em combate contra criminosos. O nome do meio Orc era DARIUS, então o grupo colocou o nome do bebê orc DARIUS, mas ao contrário (SUIRAD). ~ Algum tempo passou e descobriram que o bebê orc era um Meio Orc.
~Tempos atuais~
*Suirad hoje, com 23 anos, se encontra em Histerwood com o mesmo grupo que o salvou. Fred, um humano sacerdote de 48 anos, é a pessoa mais achegada ao Suirad. Suirad desde os 7 anos sofre com vozes falando pra ele que ele deve matar e se tornar independente. Suirad sempre é acalmado pelo Fred e não ouve mais ninguém além dele, que o criou e cuidou mais que tudo desde então - Suirad não aprendeu a falar direito-. Esse cuidado se da pelo fato de que Fred era achegado ao Darius, então Fred criou uma conexão forte com o Suirad. O Fred sempre ensinou ao meio Orc a moral e ética necessária para se viver em comunidade, mas parece haver algum bloqueio mental em Suirad, e o humano acredita que possa ser da mordida de lobo que o meio Orc sofrera na cabeça quando foi encontrado quase morto na floresta, que inclusive deixou a cabeça dele um tanto deformada. ~ Suirad sabe o que é Cristo, mas uma força maior o impede de reconhecer a fé nele (Cristo) como importante, mas ele o respeita, assim Fred acredita. ~ Suirad, apesar de ter alguns defeitos mentais e ter pouca empatia social, mostra fervoroso desejo de caçar e matar criminosos por todo canto onde andar. Essa vontade e fervor de fazer isso foi desperto quando ainda com 7 anos. Desde então a robustez e força dele só tem crescido.
Apesar de tudo isso, Suirad tem vivido tenebrosos momentos em aventuras que o grupo de Fred faz. Recentemente foi informado que os políticos e nobres locais fizeram uma proposta para todos que quiserem, o privilegio de ter lucro garantido em uma tarefa “fácil”: encontrar uma tal de Mina de Lightserin. Fred e os demais não colocam fé nessa proposta dada, mas Suirad não. Suirad, mesmo que seja um completo meio Orc com defeito (risos), foi o único a dizer que queria participar dessa busca à Mina perdida.*
Fred: Suirad, sabes que podes morrer nessa investida, não é?
Suirad sabe sim” - fala o meio orc com voz de demente.
Fred: Tu também sabes que se eu fosse mais forte, te impediria de ir, não é?
Suirad não tem medo de Fred” - no mesmo tom e sem nenhum sentimento estampado.
Fred: Eu sei, grandão. Eu sei. Se queres ir, vá. Mas se você não voltar por ter morrido, eu vou te matar de novo em qualquer Plano que você esteja!
Suirad olha pra Fred, processa a mensagem, coloca sua mão sobre seu Machado Grande e “Suirad mata Fred primeiro” - mesma voz de bocó.
Fred: NÃO! NÃO! Só estou brincando, seu orc pecador! Ah, que calafrio vc me deu!
Fred: Que Cristo te guarde!

#######-########-#########-#########
- Classe: Bárbaro

- O que o personagem quer (…): Já citado no BG.


Att,
keroçDM#0128
- E não. Nunca participei de uma mesa de RPG, mas já tô entrando em uma, com fé em Cristo! - Suirad da vida real.

Perdão pelo tamanho do BG! Mas é isso. Fluiu. Flw Vlw.

3 Likes

"Inspirai, Senhor, as nossas ações, e ajudai-nos a realizá-las, para que em Vós comece e termine tudo aquilo que fizermos"

  • Discord: Eddard (Eduardo #9113)
  • Nome: Vicent de Loyola
  • Raça: Humano
  • Sexo: Masculino
  • Classe: Clérigo
  • História: Vicent é o caçula de treze irmãos da nobreza. Desde criança se interessava muito pelas história épicas dos bardos, os livros de cavalaria e as histórias das aventuras de seus irmãos mais velhos. Sua posição privilegiada permitiu que recebesse treino de cavaleiro em sua adolescencia, tornando-se um soldado.
    Era orgulhoso e sempre se vangloriava de seus feitos, poucas coisas mais o interessavam que não envolvesse sua carreira militar. Quando adulto, durante uma batalha contra um exercito rival, foi alvo de uma Thunderwave que o deixou surdo por vários dias e fora capturado. No entanto, os soldados inimigos testemunharam que ele lutou com honra e por isso foi liberto e devolvido para o seu general.
    Enquanto se recuperava de sua surdes, decidiu passar o tempo com leitura, mas a fortaleza de seu general por acaso não tinha as histórias de cavalaria que Vicent tanto gostava, apenas os livros sagrados e histórias dos santos cristãos. Por falta de opção, ele leu esses livros mesmo. A medida que ele ia se afeiçoando mais dos santos ele percebeu algo único: diferente de outras atividades que lhe agradavam, como as militares, em que ele tinha prazer de faze-las na hora e quando acabava a alegria partia, quando ele pensava sobre Cristo e as histórias dos seus santos, a sua felicidade era mantida até muitas horas depois.
    Decidido a se aprofundar mais em sua nova fé, ele aposentou sua carreira militar e tornou-se clérigo. Daí em diante, passou a pregar a palavra de Deus a exemplo dos santos, sempre contando suas histórias. Também criou o habito de repetir feitos famosos dos santos em seu cotidiano, como apenas entrar na igreja descalço, enfrentar um malfeitor com apenas com as próprias mãos e viajar de uma cidade a outra a pé, sem recursos e pedindo esmola na estrada.
  • Objetivo/Gancho: Em um mundo que aparenta morto após duas grandes tragéias em sua história, Vicent sai em missão pela igreja para espalhar vida que transborda e vem de Cristo por seu sacrifício. Levando a palavra para onde ele for, sonhando ele mesmo em se tornar santo, imitando-os em tudo que for capaz, espera até mesmo morrer como um mártir.
3 Likes

E aí mano, blz? Fiquei interessado em jogar na sua mesa.
Eu não manjo nada do Roll20, mas jogo D&D 5e há um tempo e conheço as regras, e tava querendo jogar um pouco nessa “quarentena”.

Discord: BlueZzzac#7414

Bom, aqui vai meu personagem:

Nome: William Blight

Raça: Meio-Elfo

Sexo: Masculino

Classe: Mago

Background:
William é o segundo filho do grande mago humano Ernest Blight, com sua esposa elfa Lizandra Ruli Blight. Quando crianças, William e seu irmão Arannis mal viam seu pai, pois ele estava sempre em seu laboratório cuidando de importantes pesquisas mágicas para o reino.
Por causa disso, William cresceu com um olhar de fascínio sobre o ofício de um mago, e seu irmão com olhar de rancor. Sendo assim, o pequeno Will começou a treinar magia como podia desde criança.
Conforme foram crescendo, Arannis começou a gerar tensão dentro de casa, sempre arrumava brigas, principalmente com o pai. A gota d’água foi quando William descobriu indícios de que o irmão teria se envolvido com um culto a uma entidade antiga, e contou a família. Ernest ficou furioso com Arannis, e houve uma grande discussão, mas no final o garoto demonstrou um terrível poder mágico proveniente da entidade, e começou a destruir a casa. Ernest caiu, e Arannis então matou sua mãe, mas quando foi acertar William, seu pai conseguiu recobrar a consciência e se teleportou junto do filho enlouquecido para longe dali, mas não antes que Arannis pudesse fazer uma queimadura na parte esquerda do rosto do irmão.
A casa foi destruída com a batalha, e William, com apenas 14 anos se viu obrigado a ganhar a vida de algum jeito. Ele conseguiu emprego na biblioteca da cidade, mas o chefe o mandou utilizar uma máscara para que as pessoas não se assustassem com sua queimadura. O garoto escolheu uma máscara branca, com alguns entalhes em profundidade cruzando-a verticalmente. Ele continuou os estudos em magia por mais 4 anos até que se sentiu pronto para se tornar um aventureiro. Porém, depois de tudo que aconteceu e de passar tanto tempo se dedicando apenas aos estudos, William se tornou um pouco maluco.
Hoje, William usa um antigo foco arcano de seu pai, um cajado com a cabeça de um falcão esculpida na ponta, cujos olhos possuem cristais de canalização, e a boca se abre para a conjuração de magias. Armado com seu foco arcano, William saiu em aventurar para expandir seu conhecimento e seu tesouro, para um dia conseguir a magia Contato Extraplanar e poder perguntar o que aconteceu a seu pai e seu irmão.

Objetivo: descobrir o que houve com o pai e o irmão, e para isso ele deseja ser capaz de usar a magia de quinto ciclo, Contato Extraplanar. Caso Arannis esteja vivo, William pretende se vingar.

Obs: tenho um amigo que talvez queira jogar, e vai fazer um background que se entrelaça com o meu de algum jeito.

3 Likes

Nome: Aramil Castelino Siannodel
Raça: elfo (alto)
Sexo: masculino

Filho caçula de uma família de elfos altos, Aramil não tinha direito a nada, portanto teve de correr atrás de construir seu próprio nome, se encantou por uma trupe circense e desejou se juntar a ela, mesmo não sendo muito bom nas performances. Porém descobriu seu incrível talento em fazer acrobacias. Depois de 5 anos fazendo seus espetáculos Aramil estava cansado de seus espetáculos, e em um dia foi buscar conselho em uma igreja, e lá dentro conversou com um padre que em seu sermão contou a historia de Santo Expedito, depois disso Aramil reparou que deixar as coisas para depois não iria o levar a nada, assim passou a admirar e seguir o santo, então seguindo seus passos se despediu da trupe do circo e seguiu seu rumo pelo mundo.
A princípio sobreviveu fazendo suas apresentações de rua e em um belo dia, foi contratado para servir de bobo da corte no casamento da filha de um nobre de uma cidade, então no meio das piadas dos outros bobos da corte, Aramil decidiu soltar a língua para cima do anfitrião, o mesmo não gostou nem um pouco disso pois foi na mesa de jantar com muitos membros da nobreza, que riram dele. Assim ordenou que matassem o elfo ali mesmo, então com toda sua destreza o pobre bobo da corte viu que não tinha mais volta e então enfiou a mão no bolo e saiu correndo e comendo ele no caminho. Assim teve que ficar na espreita e não chamar muita atenção naquela região, pois o nobre ainda o persegue.
Seis meses apos toda essa confusão, passando por uma estrada ele avistou um mago tendo dificuldades em lidar com uma gangue de goblins, vendo essa situação decidiu puxar sua adaga e ajudar o mago, após isso se apresentaram conhecendo assim seu grande e fiel amigo William Blight, e nesse momento Aramil percebeu que poderia ganhar a vida como aventureiro. Formou uma dupla com seu amigo em busca de novas aventuras.

objetivo: estou em busca de descobrir meu papel no mundo e quero seguir o caminho em que eu possa ser feliz e ajudar as pessoas.

Discord: srmurilo1801#0547

Opa, @reinodealbir tem vagas ainda?